Justiça afasta Lili Aymar da Prefeitura de Araçariguama

Portal Mídia Oeste – Da Redação

A Medida tem caráter liminar, portanto, a prefeita Lili Aymar terá um prazo de 15 dias para recorrer da decisão.

O pedido de afastamento da prefeita de Araçariguama, Lili Aymar, feito pelo Ministério Público na última terça (15), foi aceito pela Justiça são-roquense nesta sexta-feira (18).

A ação civil pública tramitou na 1ª Vara Civil do Foro de São Roque, tendo o documento assinado pelos promotores Suzana Peyrer Laino Ficker, Wilson Velasco Junior e Washington Luiz Rodrigues e foi avaliada pelo o Juiz Dr Rogê Naim Tenn.   

Segundo o MP, um inquérito civil foi instaurado em 2017 após uma denúncia que afirmava que Carlos Aymar era a pessoa que realmente exercia o papel de Prefeito de Araçariguama e não sua mulher, Lili Aymar, que teria sido escolhida para concorrer às eleições municipais de Araçariguama apenas para garantir o retorno do marido indiretamente ao cargo de chefe do Executivo.

O marido de Lili, Carlos Aymar, e um secretário municipal foram presos em flagrante, na segunda-feira (14), por cobrarem propina de uma empresária. De acordo com a investigação, Carlos, que é ex-prefeito, mantinha uma sala dentro da prefeitura onde realizava as negociações.

No documento, o afastamento tem como base do artigo 20 da Lei Federal n.8429/92, que diz respeito à improbidade administrativa.

Segundo o texto, Lili Aymar permitiu e autorizou que seu marido, mesmo sem qualquer nomeação para cargo em comissão, tivesse um espaço no prédio da prefeitura.

A medida tem caráter liminar, portanto, a prefeita tem um prazo de 15 dias para recorrer da decisão. Lili pode ficar afastada por seis meses e quem assume durante o afastamento da prefeita é o seu vice-prefeito, Joca.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *